Anúncios

O JUSTO MARDOQUEU

Passados alguns dias, eu assistia uma aula do curso de Bacharel em Teologia, quando na ocasião o professor ensinava com muita sabedoria e propriedade a matéria Bibliologia. Foi durante a explanação dos textos sagrados que fui sacudido por Deus durante um comentário feito pelo professor em apreço, tocante ao livro de Ester. 

Conta o livro de Ester (recomendo que você o leia, são apenas 10 curtos capítulos) em súmula: Durante o reinado de Xerxes (Assuero), grande rei do Império Persa, lá por volta do ano 478 a.C., uma formosa judia chamada Ester foi escolhida pelo rei entre mais belas virgens de todo o império para ser sua nova rainha. Ester era moça pura e temente a Deus, foi criada por um primo, Mardoqueu, que permanecia sempre às portas do palácio. Havia também no mesmo contexto certo homem arrogante e soberbo chamado Hamã (2º no comando do império).

Meu enfoque está na lição de justiça e verdade
que o Senhor nos revela através da trama
entre Mardoqueu e Hamã.

Mardoqueu era um judeu justo e temente a Deus, não reverenciava outro senão o Altíssimo Deus, já havia prestado grande serviço para o Rei, denunciou uma trama contra sua vida, mas na ocasião nenhum mérito recebeu (peço ao leitor que observe bem o contexto da história bíblica). Homem pertencente à classe de cativo, tendo já nascido no cativeiro. Despido de toda glória; era apenas um homem justo às portas do rei. Nenhum lugar tinha para ele no palácio real.

Hamã, por outro lado, era o segundo homem mais honrado no império, decretos e leis o favoreciam, era da nobreza, rico e poderoso. Soberbo e arrogante habitava no palácio real e comia da mesa do rei. Hamã foi tomado de grande indignação pelo fato que Mardoqueu não se curvava a sua presença (cap.3) e intentou matar aquele judeu (e também toda a raça judaica, cap.3 v.7) Preparou uma forca para o justo judeu... porém; veja bem, ninguém mata um escolhido de Deus!

Resumindo: Quando Hamã se dirigia ao palácio para pedir a execução de Mardoqueu, foi surpreendido pelo rei que ordenou a ele que conduzisse Mardoqueu pelas ruas da capital Susã para conceder as mais elevadas honras a aquele judeu, em consideração por este ter salvado a vida do rei outrora (cap.6). Logo em seguimento Ester denuncia ao rei a trama de Hamã para matar os judeus (cap.7) e por fim a forca que Hamã construiu para Mardoqueu serviu para sua própria execução (cap.7 v.9). Todos os bens e honras de Hamã agora pertenciam a Mardoqueu.

. . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . .

Quero destacar algumas verdades em particular:

* Primeiro: Ninguém que intenta contra um justo prevalecerá para sempre.
* Segundo: Os olhos do Senhor procuram os justos da Terra.
* Terceiro: Deus tem compromisso com a sua justiça, e os seus propósitos duram para sempre.

Veja prezado leitor, Mardoqueu não foi honrado no momento que parecia oportuno (quando denunciou a trama contra a vida do rei), mas depois, na hora que Deus marcou como momento oportuno. E Deus não só o honrou, mas humilhou publicamente aquele que desejou a sua ruína. Veja que grande verdade prática o Senhor nos ensina aqui. Você pode estar pensando que Deus nunca vai te honrar por aquilo que você faz para Ele; mas tenha absoluta certeza que aquEle que esquadrinha todos os pensamentos está preparando momento tão mais oportuno que você não pode imaginar. Ele vai te honrar no momento exato, e com a honra virá a recompensa pela sua justiça. Deus tirou Mardoqueu da porta do palácio e colocou como 2º homem do grande império Persa. Salvou a sua vida da mão do perverso e com isso salvou toda a raça judaica do extermínio.

Em contraste a Mardoqueu temos Hamã, soberbo, egocêntrico, maquiavélico, injusto e mentiroso; mas mesmo assim, no seu tempo, era um homem da mídia, estava frequentemente nos holofotes do reino, trabalhava para sua própria honra (jamais pelo reino ou seus súditos, apenas para si próprio), e quando alguém se omitia em prostrar-se à sua presença, enfurecia, ficava fora de si, e então maquinava destruir o justo.  Vangloriava-se de seus feitos, dizia em público: – “Porque EU fiz...”, – “Porque debaixo do meu comando... Eu fiz”, – “Porque foi na minha gestão, não de Fulano ou de Beltrano, mas na minha gestão que se fez isso ou aquilo".

No exemplo de Hamã, esse tipo de conduta conduz apenas a um caminho, caminho de morte. Fez uma forca para seu opositor e por fim foi pendurado nela, e veja o detalhe, por ordem do rei que tanto o honrou noutros momentos.

O sábio Salomão já dizia em seu provérbio: As bênçãos coroam a cabeça dos justos, mas a boca dos ímpios abriga a violência. A memória deixada pelos justos será uma bênção, mas o nome dos ímpios apodrecerá”.

. . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . .

Querido leitor, você já fez uma auto-análise quanto a que tipo de cidadão você está sendo? Você está seguindo a conduta justa e reta de Mardoqueu ou está agindo como o perverso Hamã?  

Se ainda não fez esta auto-análise, agora é o momento! É preciso uma decisão sua urgente!  Se sua consciência aponta para uma ação injusta cometida contra um inocente, você pode ter pouco tempo... corra!, concerte tudo e alcance misericórdia. Porém, se sua consciência aponta estar agindo retamente, então jamais desista da justiça, mesmo que pareça estar tudo errado, mesmo que vejas os injustos nos holofotes da mídia (por um pouco de tempo apenas) a recompensa pela sua retidão está guardada e prometida pelas Sagradas Escrituras. Deus jamais se arrepende ou esquece daquilo que promete!

Durante nove anos que me dediquei a uma única missão em minha vida, eu conheci muitos Mardoqueus e inumeráveis Hamãs. Fui bastante surpreendido por Deus quando despido da minha ingenuidade, descobri que pessoas próximas a mim vestiam a capa de Mardoqueu, mas por dentro estava Hamã, tramando contra minha própria vida (pessoas que tem o mesmo sangue que corre em minhas veias e outros tantos que até comeram do meu próprio prato). Aprendi com isto a conhecer as pessoas bem mais a fundo, a conhecer o lado sombrio do ser humano, o abismo entre a inocência e a mente que em seu leito de descanso maquina o mau.

Amigo leitor; o caminho da injustiça (mesmo que revestido por uma capa de falsa justiça) tem uma vida útil muito curta, hora dessas o Deus Santo e Justo vai cobrar caríssimo preço por brincar contra a Sua Santidade. Deus não se deixa escarnecer!

Mas o outro lado da moeda, a mais bela mensagem que desejo apregoar neste blog é: Deus se agrada de uma vida que busca a excelência. Disse Aristóteles com muita precisão: “Nós somos o que fazemos repetidas vezes. Portanto, a excelência não é um ato, mas um hábito”. Sim, os erros são passíveis de serem cometidos por todos nós, mas o que define o que somos não é nossos erros, mas sim nossos esforços repetitivos em tentar fazer o certo, o agradável, o santo. Nosso Deus e pai é feliz quando agimos desta forma. Ele assume compromisso conosco, compromisso com Sua Santidade, ao qual honramos sendo homens e mulheres justos e sensatos.

Veja o que diz o Apóstolo Paulo à igreja da Galácia (destaco a última parte): “Ora, as obras da carne são manifestas: imoralidade sexual, impureza e libertinagem; idolatria e feitiçaria; ódio, discórdia, ciúmes, ira, egoísmo, dissensões, facções e inveja; embriaguez, orgias e coisas semelhantes. Eu os advirto, como antes já os adverti: Aqueles que praticam essas coisas não herdarão o Reino de Deus. Mas o fruto do Espírito é amor, alegria, paz, paciência, amabilidade, bondade, fidelidade, mansidão e domínio próprio. Contra essas coisas não há lei. Gálatas 5.19-23

Bastam as palavras de Paulo para encerrar esta mensagem.

Que Deus vos abençoe amigos (as) leitores (ras).


Passo Fundo, 5 de janeiro de 2011.



Alan Chiamenti Machado
Autorizada reprodução desde que citada a fonte.




Não deixe de ler a post "A Resposta de Mardoqueu" através do link http://www.alchimac.com/2011/01/resposta-de-mardoqueu.html



9 comentários:

  1. Prezado Alan,

    Que Deus continue te usando para propagar Sua Palavra através deste maravilhoso Blog!!!

    Maravilhosa e edificante mensagem!!!!

    Forte abraço,
    Clerio Kropp
    Condor - RS

    ResponderExcluir
  2. Grato pelo comentário prezado amigo e irmão Clério. Que Deus continuamente esteja de abençoando!

    ResponderExcluir
  3. Gostaria muito de pregar essa mensagem,para adolescente usando a jovem e os dois homens como se fossem jovens.sera que consigo?acredito que traria uma liçao de vida muito grande para eles,mas eu nao sei pregar so tenho um desejo muito grande. Antonia

    ResponderExcluir
  4. Prezada irmã Antonia. É perfeitamente possível adaptar essa mensagem a inúmero contextos, inclusive para adolescentes. É uma grande lição de vida, que se faz necessário ganhar mais ênfase em nossos dias. Deixa Deus ampliar este teu desejo e poderás ser usada grandemente nas mãos dos Senhor.

    ResponderExcluir
  5. cantora Edilaine Santos14 de novembro de 2012 10:30

    Nossa que estudo profundo que mensagem maravilhosa, continue assim que Deus vai te honrrar grandemente desta terra amemm

    ResponderExcluir
  6. Amêm varaõ que Deus todo poderozo possa continuar te usando poderozamente no don da palavra, um forte abraço do seu mais novo irmaõ em cristo, Cézar.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Obrigado meu amado irmão por ler este artigo. Que Deus te abençoe ricamente.

      Excluir
  7. muito bom esse estudo,eu ja tinha lido esse livro de ester mais eu so fui ser dispertado a respeito de mardoqueu;quando eu ouvi um hino que fala que ele foi exaltado;muito

    ResponderExcluir
  8. INFELIZMENTE TEMOS MUITOS HAMA NAS IGREJAS MAIS A JUSIÇA DE DEUS NÃO FALHA...

    ResponderExcluir